fbpx
Escolha uma Página

E aí galera, sejam muito bem vindos a mais um texto do nosso blog! O texto de hoje vai ser inteiramente dedicado ao assunto da baixa autoestima. Até o fim do texto, você vai aprender sobre os sinais de baixa autoestima, as consequências da baixa autoestima, como melhorar a baixa autoestima e, por fim, como ajudar alguém com baixa autoestima..

O que é baixa autoestima?

A autoestima é, basicamente, a opinião que você tem de você mesmo. Se essa opinião é positiva e você se considera uma pessoa capaz e forte, a gente diz que você tem alta autoestima. Se essa opinião sobre si mesmo é negativa e você se considera uma pessoa frágil e indefesa, nós dizemos que você tem baixa autoestima.

O nível da sua auto estima ser alto ou baixo não influencia só nos pensamentos que você tem sobre você mesmo, mas também influencia na sua autoconfiança e na sua segurança e nos relacionamentos.

Baixa autoestima é doença?

Apesar de a baixa autoestima ser um sintoma comum de várias doenças, como depressão, transtornos de ansiedade e transtornos de personalidade, ela não é uma doença catalogada.

Ou seja, um psiquiatra ou um médico não podem dar um diagnóstico de baixa autoestima para você. No entanto, eles podem reconhecer que aumentar a autoestima é um objetivo valioso para você.

Quais são as causas da baixa autoestima?

Se a gente entende que a auto estima é a opinião que você tem de si mesmo, então, o que diminui a sua autoestima são coisas que mudam essa opinião sobre si mesmo.

Também, se você analisar como você forma sua opinião sobre as outras pessoas, você vai perceber que um dos fatores mais importantes para formar uma opinião sobre alguém são as atitudes da pessoa. Mais do que o que alguém fala ou o que pensa, as atitudes daquela pessoa formam a maior parte da nossa opinião.

Por essa mesma lógica, são as suas atitudes que vão ter o maior impacto em aumentar ou diminuir a sua autoestima.

Até o fim desse texto, vamos explicar quais são essas atitudes que aumentam ou diminuem a autoestima.

Quais são os sintomas de baixa autoestima?

Ter diálogos mentais negativos constantes

A psicologia moderna entende que a mente humana é muito mais pessimista, por natureza, do que otimista. Isso faz com que a maioria dos pensamentos que uma pessoa normal tem, durante o dia, sejam pensamentos negativos.

Alguns pensamentos muito naturais são:

  • Medos com relação ao futuro;
  • Memórias dolorosas do passado;
  • Preocupações sobre as nossas falhas.

O problema da pessoa com baixa autoestima é que ela transforma um pensamento negativo em dois, três, quatro, dez etc. Ou seja, isso se torna um diálogo mental negativo que, conforme vai ficando mais longo, te deixa ainda mais triste e mais desconectado do momento presente.

Desistir de objetivos antes de começar

Como uma pessoa com baixa autoestima não acredita ser capaz de cumprir objetivos, é muito comum que ela desista deles antes mesmo de começar. O problema é que quando você desiste de uma coisa antes mesmo de começar, tem 100% de chance de ela não dar certo.

Assim, essa desistência faz com que você reforce a ideia de que você é incapaz, desistindo de novo na próxima vez.

Desmarcar compromissos por insegurança com aparência

Pessoas com baixa autoestima costumam se comparar fisicamente muito com os outros. Nessas comparações, o resultado mais comum é a conclusão de que a pessoa é feia e horrível. Enquanto muitas pessoas conseguem sair de casa mesmo com esses pensamentos – de que você é feia e horrível -, a pessoa com baixa autoestima acaba desmarcando os compromissos, para não ter que passar por aquela situação.

Crises de ciúme em relações amorosas

A pessoa com baixa autoestima se considera alguém de baixo valor e, assim, também acaba se considerando alguém mais substituível do que os outros.

Para uma pessoa assim, é muito comum pensar que os outros estariam melhores sem eles e que eles são um peso na vida das pessoas.

É exatamente por isso que o ciúme aparece com muita força em relações com pessoas de baixa autoestima. Afinal, esse medo de ser substituído e essa crença de que você não tem valor deixam você paranoico o tempo todo.

Quais são as consequências da baixa autoestima?

A pior, e a principal, consequência da baixa autoestima é você se isolar dentro da sua zona de conforto. A sua crença de que você é uma pessoa incapaz pode criar um ciclo vicioso, que aumenta o número de desistências em todas as áreas da sua vida.

Você desiste de praticar atividade física, porque se acha gorda; desiste de sair com suas amigas, porque se acha feia; desiste da faculdade, porque sente que tá difícil.

Quanto mais você desistir de tudo, menos empolgante a sua vida fica. O que sobra é o sofrimento banal do dia a dia. Consequentemente, sem coisas empolgantes para fazerem valer a pena o sofrimento banal do dia a dia, é impossível viver uma vida feliz.

Baixa autoestima x aparência

Uma das maiores reclamações das pessoas com relação à autoestima é não se acharem bonitas.

Normalmente, essa é uma reclamação trazida na terapia, especialmente pelo público feminino. Dentro da nossa experiência, como uma clínica de psicologia, o que podemos dizer é que cuidar mais da sua aparência pode aumentar a sua autoconfiança e a sua autoestima.

As pesquisas científicas mostram que pessoas que se cuidam mais têm uma maior chance de serem bem tratadas, de serem aceitas em entrevistas de emprego e de encontrarem um par romântico.

Por isso, a gente não pode ser hipócrita e dizer que não vale a pena cuidar da sua aparência. O que precisa ficar claro é que existe o perigo do exagero. Quando você está constantemente se comparando com pessoas que escolheram a profissão da beleza para viver (como modelos de Instagram, influenciadores e musas fitness), essa comparação não é saudável.

A melhor comparação que você pode fazer é se comparar com você mesmo no passado, garantindo que você está fazendo pequenas mudanças, para se cuidar mais no seu íntimo.

Baixa autoestima e distúrbios psicológicos

Apesar da baixa autoestima não ser uma doença, ela é um sintoma que aparece em vários outros diagnósticos. Por exemplo, um dos nove sintomas para se diagnosticar depressão é ter pensamentos constantes de desesperança e de culpa.

Em outras palavras, a baixa autoestima é um dos sinais que precisam estar presentes para que a pessoa seja diagnosticada com depressão. Além disso, a baixa autoestima é um efeito colateral comum de transtornos em que você sente que não está no controle das suas ações.

Transtorno de personalidade Borderline, transtorno bipolar e síndrome do pânico são exemplos de doenças em que, em muitas crises, ocorre a sensação de não estar no controle.

O que fazer para melhorar a autoestima?

Por muito tempo, se acreditou que a melhor solução para aumentar a auto estima fosse pensar positivo. Hoje, a ciência psicológica mais moderna entende que a resposta, na verdade, é agir positivo. Afinal, se você forma a opinião de alguém com base nas atitudes da pessoa, por que o processo de formar opinião sobre você mesmo não seria igual?

Por isso, o melhor segredo para aumentar a autoestima é aumentar a quantidade de atitudes positivas na sua vida. E atitudes positivas são qualquer atitude que te deixe orgulhoso de si mesmo.

Quanto mais você consegue organizar o seu dia, para encher ele com pequenas missões que te dão uma sensação de missão cumprida constante, mais você vê na prática que você é capaz e forte.

Repetir frases positivas para si mesmo no espelho pode até enganar o seu cérebro por alguns segundos, mas são as atitudes novas que vão convencê lo de verdade.

Como ajudar uma pessoa com baixa autoestima?

Por essa lógica, a melhor forma de ajudar alguém com autoestima baixa é incentivando a pessoa a fazer mais atitudes positivas. Em uma conversa, você pode tentar descobrir quais atitudes despertam essa sensação de orgulho de si mesmo na pessoa e , a partir disso, dar sugestões para aumentar a presença dessas atitudes.

Se essas atitudes também fazem bem para você, você pode ser uma companhia para aquela pessoa e os dois aumentarem a autoestima juntos.

Terapia para equilibrar a autoestima com a Eurekka

Por fim, queremos contar para você sobre a terapia da Eurekka para equilibrar a autoestima. Como você sabe, a Eurekka é uma clínica de psicologia que atende centenas de pacientes, pela terapia presencial e online, pelo mundo todo.

Um dos maiores diferenciais da Eurekka é, justamente, o nosso foco prático em aumentar as atitudes positivas na sua vida. Mais do que pensar positivo, os nossos psicólogos acreditam que é necessário agir positivo. Na terapia, você cria um plano, passo a passo, para descobrir que atitudes são essas que te dão orgulho.

Se você quiser marcar uma conversa inicial, sem nenhum compromisso, dê uma olhada no nosso site, clicando aqui! Fique a vontade, também, para acessar nossos conteúdos em outras redes sociais, como: Instagram, Facebook e YouTube. Veja o vídeo sobre o assunto: Baixa autoestima: o que é, quais são os sintomas e como melhorar?

Parabéns por ter chegado até aqui. A gente quer interagir com você, então pode comentar aqui embaixo que a gente promete responder, tá?