fbpx
Escolha uma Página

E aí pessoal, tudo bem? Sejam muito bem-vindos a mais um texto do nosso blog sobre saúde mental. No texto de hoje, vamos falar sobre técnicas de como combater o estresse. Além disso, vamos dar dicas práticas de como evitar o estresse e de como lidar com ele – caso ele apareça!

Quais são os desafios do combate ao estresse?

O principal desafio de combater o estresse é entender que o seu corpo está dizendo, com todas as forças, que esse é um momento de pico. Ou seja, esse é um momento para você ficar totalmente atento, porque existe alguma ameaça à você. Em consequência, o seu corpo traz essas mensagens, principalmente, através dos hormônios: cortisol e adrenalina.

Então, você começa a sentir os batimentos cardíacos ficarem acelerados e a sua respiração ficar um pouco mais superficial e mais rápida; também, você pode perceber um aperto no peito e sentir que os seus pensamentos ficam afunilados.

Nesse sentido, você fica com o foco totalmente em como lidar com essa ameaça, que estaria acontecendo com você. E o seu corpo tem uma história muito antiga!

Logo, o que acontece é que a nossa estrutura cerebral e o nosso organismo tiveram que sobreviver às diferentes ameaças verdadeiras durante a nossa existência. Por exemplo, um outro animal, uma outra tribo, a fome e a sede, são algumas das adversidades que os nossos antepassados acabavam enfrentando.

Ao longo do tempo, nosso corpo e o nosso cérebro foram evoluindo e se adaptando a esse contexto de muitas ameaças. Então, hoje, quando você tem que estudar para uma prova, ter uma conversa difícil ou lidar com um desafio, o seu corpo entende que tem ali uma ameaça muito grave.

Por esse motivo, o principal desafio de lidar com o estresse é você ter que lidar com todo o seu corpo. Isso porque você terá sensações físicas – batimentos acelerados, respiração rápida -, pensamentos e vontades – de falar mais alto, de sair de perto.

Como diminuir o estresse no dia a dia?

O primeiro passo para diminuir o estresse na sua rotina é o autocuidado com o seu corpo. Isso porque ele também vai ficar mais suscetível ao estresse, quando alguns pilares não estiverem funcionando muito bem.

1. Sono

O primeiro pilar é o sono! Quando a gente tem uma noite mal dormida, fica muito mais fácil para o nosso organismo perceber ameaças em todo lugar. A gente fica mais irritado mesmo e é muito mais fácil nos “tirar do sério”.

2. Ter um rotina de exercícios físicos

Outro ponto super importante é você manter uma rotina de exercícios físicos regular, porque ela reduz a possibilidade de você desenvolver alguns transtornos mentais – e junto com isso você também reage melhor ao estresse.

3. Fazer pausas ao longo do dia

Outro ponto muito importante é o autocuidado de você estabelecer algumas pausas ao longo do seu dia – para tomar um copo d’água, para respirar fundo, ir até o banheiro. Essas pausas são essenciais para dizer ao seu corpo que está tudo bem e que você pode reduzir um pouquinho o seu estresse.

Desse jeito, o nosso corpo vai entender os momentos de pausa como momentos em que a gente está descansando. A partir daí, o nosso cérebro começa a enviar sinais para o nosso corpo de que, talvez, não tenha ali uma ameaça – e que a gente pode sim descansar.

Como lidar com situações de estresse?

1. Perceber que está estressado

O primeiro ponto é você perceber que você está estressado. Perceba que você está estressado e indique isso para si mesmo: “Ok, agora está sendo um momento muito difícil, está sendo realmente uma barra. Eu estou estressado e não está sendo fácil para mim.”

Diga isso para você de um ponto de vista compassivo, com autocompaixão. Para que, assim, a gente consiga começar a operar algumas mudanças importantes, esse é o primeiro passo.

2. Tomar atitudes para se acalmar

Beleza, agora que você já percebeu isso para você mesmo – que está sendo um momento difícil -, o segundo ponto é avaliar que tipo de atitude você pode fazer, para que esse momento seja um pouco mais calmo.

Por exemplo, pode ser você praticar uma respiração diafragmática! O benefício da respiração diafragmática é que ela é uma técnica simples – que não custa nada, e você pode fazer, praticamente, em qualquer lugar -, que vai reduzir o seu ritmo respiratório, enviando uma mensagem ao seu cérebro de que está tudo bem.

Porém, mesmo que você já tenha praticado uma habilidade de regulação emocional e diminuição do estresse, há chances de você não ter se acalmado. Nesse cenário, você pode sentir que está tudo muito difícil – e tudo bem se sentir assim.

Talvez, seja a hora de você se retirar daquela situação. Como por exemplo, se ausentar um pouco daquele ambiente que está difícil para você.(Ainda assim, vamos tentar deixar essa opção para casos extremos, depois de tentar as técnicas de autocompaixão e relaxamento.)

O que devemos fazer para evitar o estresse?

Para combater e evitar o estresse, existem dois principais fatores:

1. Rotina de autocuidado

O primeiro deles é estabelecer uma rotina de autocuidado. Essa rotina de autocuidado pode envolver você praticar uma meditação ao longo do seu dia, praticar uma respiração diafragmática ou, de alguma forma, você ter uma atividade prazerosa no seu dia.

Nesse sentido, o importante é você identificar, na sua rotina, uma maneira prática e simples de você manter esse autocuidado, sem muita dificuldade. Porque a ideia é que a gente possa manter essa rotina, para que você consiga se fortalecer e o estresse não pegue você de jeito.

2. Autoconhecimento

O segundo ponto é você avaliar em que situações você acaba entrando em maior vulnerabilidade.

  • São momentos em que você não dormiu bem?
  • São nos momentos em que você esteve um pouco mais sedentário?
  • Você praticou meditação nos últimos tempos?

Esses questionamentos servem, principalmente, para autoconhecimento. Ou seja, para você poder avaliar quais são as situações que mais geram estresse do seu dia a dia e como você pode vir a evitá-las – ou, pelo menos, reduzir esse estresse, antes que ele se torne forte demais.

Afinal, como combater o estresse?

Uma vez que você já está em uma situação estressante, tente parar e observar que você está estressado, pratique essa auto-observação! Para que, então, você comece a perceber quais são os principais momentos em que você está se estressando.

Dessa forma, você cria a possibilidade de agir, antes de reagir. Porque é muito comum, em uma situação de estresse, a gente acabar reagindo de forma impulsiva e depois nos arrependendo e pensando: “Putz acabei agindo de uma forma que me prejudicou mais do que me ajudou.”

Logo, quanto mais a gente puder desenvolver essa habilidade da autopercepção, do automonitoramento – perceber que o momento está sendo momento difícil – e de autocompaixão, com mais facilidade conseguimos sair desse ciclo e agir diferente. Para que, então, a gente possa se sentir diferente!

Essa quebra do ciclo pode ser, realmente, você dar um tempo numa conversa difícil; pode ser você sair para dar uma volta; pode ser você tomar um copo de água com calma; ou pode ser você praticar uma habilidade de regulação emocional.

Aprenda como combater o estresse com a Eurekka

Nesse texto, eu estou tentando dar dicas que acredito que podem ajudar você. No entanto, é na psicoterapia – com um psicólogo formado e treinado para ajudar você -, que você vai conseguir desenvolver mais autoconhecimento!

Na psicoterapia, você consegue desenvolver habilidades para perceber como seu estresse está muito elevado, quando que você está conseguindo lidar melhor com seu estresse e, acima de tudo, desenvolver o conhecimento da sua rotina e desenvolver novas habilidades para lidar com o momento atual.

Logo, se você quiser conhecer mais sobre a terapia da Eurekka, sinta-se a vontade para marcar uma conversa inicial, sem compromisso, clicando aqui! Fique a vontade, também, para acessar nossos conteúdos em outras redes sociais, como: Instagram, Facebook e YouTube.

Parabéns por ter chegado até aqui! A gente quer interagir com você, então pode comentar aqui embaixo que a gente promete responder, tá?