fbpx
Escolha uma Página

Hoje, a gente vai falar sobre como sair da depressão: sete práticas infalíveis para você se curar mais rápido. Mas antes de tudo, é importante a gente se perguntar: o que causa a depressão?

Não existe apenas uma causa para a depressão, mas um conjunto de fatores está por trás desse transtorno de humor. A depressão está presente na vida de 1 a cada 5 pessoas o tempo todo.

O que causa a depressão?

  • Predisposição genética. Assim como alguns de nós são mais vulneráveis a desenvolver espinhas, ter acne e outros menos, a depressão também funciona assim. Dependendo dos genes que você herdou, do seu pai, por exemplo, é mais fácil ou mais difícil você desenvolver depressão, é uma questão de vulnerabilidade
  • Estilo de vida. Ou seja: se você controla o seu sono, dorme as horas que você precisa para se sentir descansado, se você se alimenta bem, se você faz exercício e outras coisas relacionadas a como você age no seu dia a dia. Essas coisas estão no seu controle e podem aumentar ou diminuir sua chance de ter depressão.
  • Eventos muito traumáticos podem gerar uma ruptura na sua vida e colocar você para baixo. A partir daí, o que você faz ou não para lidar com essas adversidades vai ditar se você vai ou não desenvolver uma depressão.

Diante de uma diversidade (uma demissão, por exemplo), você pode se reconectar com antigos conhecidos do trabalho, pedir explicações e se inscrever num novo curso… Assim como você pode sair para beber naquele dia, desmarcar tudo o que você precisa fazer e ficar isolado por vários meses.

Como você já deve ter imaginado, o segundo cenário leva você mais facilmente a desenvolver depressão do que o primeiro. Essas são algumas das causas da depressão.

Principais sintomas de depressão

Alguns dos principais sintomas que precisam aparecer ao longo das últimas duas semanas são os seguintes:

  • Excesso de sono ou diminuição no seu sono. Então, se você está precisando dormir mais do que você dormia ou você está precisando dormir menos ou está com dificuldade de pegar no sono.
  • Excesso de apetite ou diminuição do apetite. Você perdeu ou aumentou sua fome ou teve um ganho ou perda de peso inexplicável nos últimos tempos?
  • Pouca vontade de fazer atividades que normalmente eram prazerosas. Você não tem mais tanta vontade de ir na academia, de sair da cama de manhã ou de estudar como você tinha antes.
  • Dificuldade de raciocinar e construir ideias. Você pode sentir que o seu raciocínio está mais lento e você não consegue concentrar sua atenção como conseguia.
  • Tristeza forte. Uma tristeza que fica com você o dia todo e parece que não vai embora.
  • Pensamentos de que seria melhor não estar vivo. Você pode pensar que seria melhor se você morresse ou se você não existisse.

Quanto tempo dura o tratamento da depressão?

A resposta honesta que eu posso dar para você é: depende. Alguns tratamentos conseguem dar conta da depressão, dependendo da pessoa e da colaboração, em questão de 1 mês e meio a 2 meses. Em casos de depressão mais grave, você talvez precisa precise de mais tempo para resolver o transtorno.

Um número saudável para você se focar é esperar pelo menos dois meses até decidir se um tratamento está ou não funcionando para você.

Cuidados durante o tratamento

  • Primeiro cuidado: não pensar que porque você não está vendo melhora na primeira ou na segunda semana de tratamento, que ele não está funcionando. O tratamento leva um tempo mesmo.
  • Segundo cuidado: colocar de pé todos esses fatores que protegem você de cair em depressão como forma de sair da depressão. Ou seja: é voltar a controlar o sono, voltar a controlar a alimentação, voltar a fazer exercício físico, é voltar a se envolver em coisas que você gostava de fazer para construir de novo a estrutura de uma rotina que protege você da depressão.
  • Terceiro cuidado: o tempo todo durante o seu tratamento, siga as recomendações do seu psicólogo e os medicamentos prescritos pelo seu psiquiatra. É essencial confiar nesses profissionais. Siga o tratamento direitinho para poder sair o mais rápido e de maneira mais certa da depressão.

Novas terapias para a depressão

A ciência tem descoberto muitas novas formas de tratar a depressão psicologicamente. A primeira delas é (a que a gente mais usa aqui na Eurekka) é a ativação comportamental, cujo objetivo é reconectar você com atividades antigas que geravam prazer para você e se conectar também com atividades novas.

O objetivo é você se reativar e se curar, assim, da depressão. Lembra como, antigamente, a gente empurrava um carro para pegar no tranco? Nesse método, você começar a fazer atividades de novo para voltar a ter prazer com elas (e aquele senso de dever cumprido tão bom) e voltar a ter uma vida funcional. A gente vai começar bem pequenininho, com micropassos, ajudando você a se desenvolver cada vez mais nessas atividades.

Outro tratamento, que é até polêmico, é chamado de eletroconvulsoterapia, uma variação do antigo eletrochoque. Quando a gente fala nisso, muitas vezes vêm imagens chocantes de pessoas sofrendo e sendo eletrocutadas.

Mas a realidade é que, hoje, a gente sabe que para alguns casos de depressão que são mais resistentes à terapia, a medicamento e a mudanças de estilo de vida, o eletrochoque (que não doi, é feito com anestesia) é super funcional e pode “reiniciar” o seu organismo e ajudar em casos em que o medicamento não está funcionando e a terapia não está funcionando.

A eletroconvulsoterapia é muito indicada, então, especialmente para casos de pessoas mais resistentes a tratamentos normais e com uma depressão muito severa. Ele pode ser um divisor de águas na vida de muita gente, talvez até na sua que está lendo esse texto agora.

E a terceira nova técnica para tratamento de depressão, que está aparecendo cada vez mais forte, tem a ver com mudar a sua microbiota – os microorganismos que vivem dentro do seu intestino. Um grupo de pesquisadores, inicialmente da Austrália, descobriu que o tipo de bactérias que você tem dentro do seu intestino ajuda a regular o seu humor.

O que essas pesquisas tem descoberto é que, se você comer alimentos ricos em micro-organismos fermentados – como o iogurte e outros – você fortalece o seu intestino e cultiva uma flora intestinal que ajuda você a ter um humor melhor.

A dica é reduzir o consumo de carboidratos refinados, de açúcar refinado, e focar mais em alimentos naturais e em alimentos fermentados, para ajudar você a, pela alimentação, controlar um pouco mais da sua depressão.

Terapias alternativas para depressão

Algumas das terapias que a gente já mencionou aqui funcionam como alternativas: fazer exercício, engajar em práticas de meditação, por exemplo, para ajudar você a manter a sua capacidade de foco, de lidar, às vezes, com sentimentos ruins ou pensamentos difíceis que ficam interrompendo você.

Tudo isso pode, sim, ajudar você a tratar depressão por um caminho que não é necessariamente o de tomar remédio. Mas mesmo que você esteja tomando remédio, essas estratégias ajudam você a sair ainda mais rápido da depressão.

Tratamento natural para depressão

Meditação, exercício físico, controle do sono, todos esses são tratamentos 100% naturais e sem efeitos colaterais para o seu organismo lidar com a depressão. Se você quer saber como sair da depressão, esses tratamentos são uma alternativa.

Como sair da depressão em 7 práticas

1 – Procure compartilhar as suas emoções.

Muitas vezes, a pessoa que está em depressão sente que se ela compartilhar o que ela está sentindo, ela vai ser um peso para as pessoas que são importantes para ela e que estão em torno dela. Ela acredita que vai sentir que as pessoas não têm como ajudá-la, vão ficar mais tristes e ela acaba se fechando.

O problema é que, se ela se fechar muitas vezes, ela acaba não buscando ajuda. Aí, ela não recebe apoio e fica bem mais difícil sair da depressão.

Então, procure compartilhar com os seus amigos, com a família e com as pessoas que são importantes para você o que você está sentindo. Dessa forma, você não só melhora o ambiente e ajuda as pessoas a entenderem você, mas também é uma forma de pedir ajuda.

2 – Procure acompanhamento psicológico.

A verdade é que ainda existe muito receio, muita vergonha ligada à transtornos de humor como a depressão. Muita gente sente que admitir que está com depressão é como dizer que ela foi derrotada ou como se isso fosse um sinal de fraqueza. Mas a verdade é que não é.

Procurar acompanhamento, procurar ajuda quando você está nesse sofrimento tão difícil, é um sinal de maturidade e um sinal de abertura e de responsabilidade não só com você, mas com todas as pessoas que dependem de você. Então, não sinta receio de procurar atendimento psicológico. A verdade é que a psicologia, a medicina e várias outras ciências têm muito para oferecer para você sair dessa situação e levar uma vida mais feliz.

3 – Faça sessões de psicoterapia.

Muitas vezes, as pessoas olham para a terapia e pensam “isso é bobagem, não vai me ajudar”, “desde quando falar com alguém vai resolver meu problema?”, “isso é coisa para louco, eu não sou louco”. Só que nada disso é verdade.

Construir uma vida com uma rotina que ajuda você a não cair em depressão, se entender melhor e descobrir o que é prazeroso para você é algo que um psicoterapeuta vai saber fazer do início ao fim com você e acelerar sua vida. Muitas vezes, a gente pensa “poxa, mas é muito caro fazer psicoterapia”.

É verdade, não é um investimento barato. Mas quanto custa para você passar mais um ano levando uma vida pior do que você gostaria? Quanto você pagaria para ter descoberto que a primeira carreira que você quis entrar não era a carreira que você queria? Ou que aquele relacionamento em que você insistiu muito não tava funcionando de verdade e que você poderia ter encontrado a pessoa certa muito antes? Quanto vale tudo isso? Busque fazer sessões de psicoterapia, porque ajuda demais.

4 – Eletroconvulsoterapia pode ajudar.

A gente já falou um pouquinho sobre isso, mas eu quero trazer de novo pra você. A eletroconvulsoterapia é uma prática super efetiva, feita com anestesia, acompanhada por médico, com muita evidência científica e que tem menos efeitos colaterais do que tomar medicamento para depressão e é efetivo em casos resistentes de depressão.

Então, especialmente você que está lutando com o transtorno há vários anos: não descarte essa possibilidade. Pode ajudar você a viver uma vida melhor agora mesmo.

5- Tente dormir bem.

Nos recursos da Eurekka, em www.durmazen.com, você encontra todo um aplicativo de graça, no seu celular, para ajudar você a melhorar a qualidade do seu sono ou pegar no sono. Proteger a sua rotina de sono e dormir bem é uma das chaves para garantir que você vai conseguir reverter uma depressão e se proteger da ansiedade.

Os hormônios e os neurotransmissores que estão ligados ao sono são essenciais para você ter uma vida regrada, uma vida alegre e uma vida que dá praze. Controlá-los é uma das primeiras coisas que a gente faz na prática de psicoterapia e o seu terapeuta também pode ajudar você a dormir melhor.

6 – Pratique mindfulness.

A prática da meditação mindfulness pode ajudar você a lidar com as memórias difíceis do passado que muitas vezes mantém a depressão e a enfrentar situações que trazem de volta emoções difíceis. Mindfulness tem sido demonstrada cientificamente como uma prática super eficiente na hora de proteger você da depressão.

Por isso, não se esquece de praticar e dar uma chance à meditação. E se você quiser práticas guiadas da Eurekka, você consegue acessá-las em www.eurekka.me/aquieagora. Comece devagarinho, com 1 minuto de prática guiada e vai tentando incorporar na sua vida. A meditação acaba se tornando uma barreira, uma espécie de escudo protetor para você se proteger da depressão, do estresse, da ansiedade e vários outros fatores.

7 – Procure fazer atividades para sair da depressão

A palavra-chave aqui é voltar. Ou seja: é voltar a fazer exercício, é voltar a ver os amigos que você não está vendo, entrar para um grupo de estudo diferente, ficar para o Happy Hour da empresa, conversar com gente nova do trabalho, quem sabe caminhar um pouquinho, mudar o restaurante que você vai almoçar, cozinhar em casa.

É voltar a se engajar na vida e fazer atividades que são gratificantes em si mesmas. É expor você para o mundo para você viver menos na sua cabeça, no mundo das memórias ruins, dos pensamentos ruins e das sensações ruins e mais no mundo real – aqui e agora – onde você consegue se envolver com pessoas, projetos e valores.

Veja o vídeo sobre o assunto: Clique aqui

BÔNUS: Materiais Grátis e Terapia da Eurekka

A Eurekka é uma Clínica de Psicologia que oferece muitos materiais grátis pra você se cuidar. Aqui vão alguns jeitos de aproveitar a Eurekka:

  • Você pode, quando está desanimado, acessar www.radiante.me que é o nosso aplicativo web de graça para você fazer exercícios e sair do desânimo.
  • Você pode seguir as nossas redes sociais e ter conteúdo novo todos os dias no Instagram, no Facebook, no YouTube.
  • Você pode, ainda, consumir os nossos infográficos, os nossos livros e produtos e ficar muito atento para eventuais cursos online,
  • Você pode marcar uma primeira conversa com a nossa equipe e conhecer mais sobre o método Eurekka de Terapia.

Espero que esse texto tenha ajudado a resolver suas dúvidas sobre depressão e botar você no caminho de sair da depressão e, quem sabe, conseguir uma vida ainda mais gratificante.

Se você lembrou de alguém para quem esse post pode ser um divisor de águas, não se esquece de enviar um link para ela. Um beijão e boas práticas pra vocês.