Hoje o nosso assunto principal é crise de estresse! Até o fim desse texto, você vai entender quais são as causas de uma crise de estresse, como identificar uma crise de estresse e que atitudes práticas você pode tomar para reduzir o estresse na sua vida.

Também, vamos falar sobre a diferença entre estresse crônico, estresse agudo e estresse agudo episódico.

Leia também:

Como saber se eu estou tendo uma crise de estresse?

O primeiro ponto para se entender é que o estresse é um fenômeno primariamente fisiológico, ou seja, que acontece no seu corpo. Aliás, o ser humano não é o único animal que sofre estresse!

Se você já levou o seu cachorro para viajar, por exemplo, talvez você tenha percebido que ele teve reações de estresse no corpo. E se ele ficou muito tempo longe do ambiente de casa, talvez tenha ficado mais desanimado, mais agitado, chorado mais, latido mais ou ficado mais agressivo.

E assim como os animais têm uma resposta de estresse quando algo muda no ambiente deles, os seres humanos também têm essa resposta de estresse. Logo, os principais sinais de que você está tendo uma crise de estresse vão ser encontrados no seu corpo. Portanto, para você saber se está tendo uma crise de estresse o primeiro lugar para você olhar é o seu corpo.

E isso nos leva para a segunda pergunta:

Quais os sintomas de uma crise de estresse?

O primeiro ponto é entender que uma crise de estresse, geralmente, acontece depois de uma situação crítica. E essa situação crítica pode ser um monte de coisas, dependendo do que é estressante para você na sua vida.

Contudo, o que todas as situações têm em comum é que você sente um pico de estresse! Pode ser no dia em que você terminou seu namoro, pode ser no dia em que o seu cachorrinho morreu ou no dia em que você sofreu um acidente de carro. A lógica é a mesma, certo?

Ou seja, acontece uma situação crítica de alto impacto emocional, uma situação fora do comum, e o seu corpo reage com todos aqueles sintomas.

Alguns dos sintomas de crise de estresse são as seguintes:

  • Dificuldade de se concentrar e a sensação de estar preso em um turbilhão de pensamentos;
  • Perda do apetite ou um aumento enorme do apetite;
  • Manchas, irritações e alergias na sua pele;
  • Variações de humor, irritabilidade e tristeza repentina ao longo do dia;
  • Problemas gástricos, tanto indigestão quanto constipação e diarreia.

Quais são as consequências do estresse para o corpo e mente?

O primeiro ponto é entender que nem sempre o estresse é algo negativo! Porque o estresse é uma reação fisiológica do seu corpo ao perigo, uma reação necessária para você lidar naturalmente com o perigo.

O problema é que, quando a sua vida é recheada de estresse constante, ou você tem picos de estresse a cada três ou quatro dias, isso causa uma sobrecarga hormonal no seu sistema nervoso. Dessa forma, afetando tanto seus pensamentos, quanto o funcionamento do seu corpo.

O que o estresse causa no corpo?

Você tem um aumento na informação do seu corpo! E isso significa que tanto a sua pele, quanto o seu sistema digestório e imunológico vão ficar muito mais sensíveis a qualquer coisa que eles percebam como estranho.

Ou seja, aumenta a chance da sua pele reagir alergicamente a qualquer poeira ou machucado na pele; aumenta a chance do seu estômago rejeitar qualquer comida que ele não esteja acostumado, fazendo você sentir indigestão ou azia; e também aumenta a chance do seu sistema imunológico ficar debilitado, porque durante os picos de estresse há uma super ativação do sistema imunológico, seguido de uma queda.

E é por isso que pessoas que estão sob estresse constante ficam doentes com mais facilidade e frequência!

Quais são os impactos psicológicos do estresse?

Psicologicamente, o estresse afeta três capacidades psicológicas:

  1. Concentração;
  2. Regulação emocional;
  3. Controle de impulsos.

Quando você está sob efeito de estresse fica muito mais difícil se concentrar, porque a sua atenção fica espalhada para todos os lados. Isso faz total sentido biologicamente, porque o estresse é uma reação ao perigo – e esse perigo pode estar rondando em qualquer lugar do ambiente.

Por isso, a minha atenção está espalhada e não focada em um lugar só. No entanto, o problema é que a gente não vive mais no mundo das cavernas e a maioria das tarefas importantes que temos que fazer envolvem focar a atenção – e o estresse te dificulta fazer isso.

O estresse também diminui a sua capacidade de regular suas emoções. Por exemplo, ser capaz de se acalmar quando você está ansioso ou de se animar quando você está desanimado. É como se o estresse aumentasse o volume das emoções e você sentisse elas com mais intensidade também.

Quando o estresse se transforma em uma doença crônica?

A principal característica de qualquer doença crônica é que existe uma continuidade das causas e dos sintomas daquela doença. Ou seja, o estresse se torna uma doença crônica quando as reações do seu corpo ao estresse, que deveriam ser periódicas, acabam se tornando uma constante na sua vida.

Não existe um ponto de corte científico para afirmar que uma pessoa sofre de estresse crônico. Mas se você olha para seus últimos seis meses e não consegue lembrar de uma ou duas semanas que foram tranquilas para o seu corpo e para o seu psicológico, esse é um ótimo sinal de que você provavelmente sofre de estresse crônico.

É possível morrer de crise de estresse?

Primeiramente, pode ficar calmo porque não é possível morrer de crise de pânico ou de crise de estresse. Afinal, o seu corpo não ia gerar uma reação nele mesmo que fosse tão intensa a ponto que o próprio corpo parasse de funcionar. Porque essa ideia vai totalmente contra o instinto mais básico que nós temos, que é o instinto de sobrevivência.

Porém, o que acontece é que estar sob estresse crônico e constante causa um dano no seu corpo, ao longo do tempo, o que aumenta sim as chances de você desenvolver doenças cardíacas ou respiratórias, por exemplo!

Portanto, a ideia é o seguinte: não é uma crise de estresse que vai matar você, mas o efeito composto de ter várias crises de estresse vai fragilizar o seu corpo e aumentar as chances de você desenvolver uma doença – que no futuro pode sim causar a sua morte.

Entenda quais são os tipos de estresse

A gente vai falar agora sobre estresse agudo, estresse agudo episódico e estresse crônico!

1. Estresse agudo

É aquela reação de estresse logo depois de uma situação crítica, de alto impacto emocional. E aqui é muito fácil pensar em situações para usar de exemplo, afinal, a vida é cheia de tragédias.

Pode ser logo depois de um assalto, logo depois de uma demissão, de um divórcio, de uma situação de violência, de uma ameaça etc. O estresse agudo pode acontecer até 30 dias depois de um evento traumático e, durante esse período, você pode sentir todos aqueles sintomas que a gente comentou antes.

Também, é muito comum durante um episódio de estresse agudo que você sinta algo chamado dissociação. E dissociação é um nome que a gente dá para a experiência de entrar no automático durante várias horas e, às vezes, até esquecer o que aconteceu.

Sabe quando você vai dirigir até o trabalho e, como você já fez esse trajeto muitas vezes, você nem percebe quando você chegou no trabalho? Então, é essa sensação, mas acontecendo ao longo do dia e em momentos em que ela não costumava acontecer.

2. Estresse agudo episódico

O estresse agudo episódico é quando você tem a experiência de estresse agudo, mas com mais frequência na sua vida.

Então, em vez de você ter uma experiência de estresse super agudo e sofrer com isso durante até 30 dias, é como se, logo depois dessa experiência de estresse agudo, você tivesse uma próxima e depois uma próxima – e assim por diante.

Isso pode acontecer, por exemplo, se todo o fim do mês você precisar fazer um ultra esforço para correr atrás de dinheiro, se não você vai ser expulsa de casa e vão cortar sua eletricidade. Ou então, se a cada três semanas você tem uma super briga com o seu marido ou com a sua filha.

O estresse agudo episódico tem os mesmos efeitos do estresse agudo, mas é muito mais agressivo com o seu corpo. Afinal, a frequência desses episódios é muito alta!

3. Estresse crônico

O estresse crônico é marcado por momentos de estresse com menor intensidade, mas com uma maior constância.

Não é como se todo dia você tivesse uma super briga com o seu marido, mas os pequenos estresses e conflitos da rotina vão se acumulando, de forma que surgem aqueles sintomas no corpo e na mente.

Quando é necessário o uso de remédio para estresse?

Quando o estresse começa a gerar perturbações no seu sono, no seu apetite e em funções fisiológicas, pode ser interessante o uso de remédios.

Você pode consultar com um médico psiquiatra ou um neurologista, que vai receitar para você remédios que facilitem o seu sono, aumentem o seu apetite e regulem seus hormônios. Mesmo assim, só usar remédios, provavelmente, não vai ter um efeito duradouro no combate ao estresse da sua vida.

E isso nos leva para a próxima pergunta, que é muito importante:

Qual é o melhor tratamento para estresse?

Como o estresse é uma reação do seu corpo ao perigo, isso significa que você, hoje, vê muitas situações da sua vida como perigosas. E se você vê essas situações como perigosas, isso, logicamente, significa que você ainda não sabe lidar com elas com maestria.

Quando você é capaz de olhar para sua vida e perceber que existem problemas, mas que você tem a capacidade e o conhecimento para resolvê-los, não existe uma resposta tão intensa de estresse. Portanto, a melhor forma de tratar o estresse é aumentando a sua capacidade de lidar com esses problemas.

Se a sua dificuldade de dizer “não” te coloca em situações de estresse, é aumentar sua habilidade de dizer “não”; se a sua falta de organização transforma seu dia num caos e te deixa estressado, é aumentar sua capacidade de organização.

Enquanto isso, também, invista em bons hábitos para cuidar do seu corpo: atividade física regular, alimentação correta, higiene do sono etc.

Leia mais:

Como controlar o estresse durante a crise?

Durante uma crise de estresse você tem dois problemas; o problema que gerou a crise de estresse – se ele ainda não foi resolvido – e o problema da sua reação corporal – que está deixando tudo mais sofrido para resolver o problema prático gerador de estresse.

É importante você sentar, pegar uma folha de papel e escrever sobre aquilo. Ou seja, entender exatamente onde o problema está travando, para que assim você possa pedir ajuda ou bolar soluções práticas para aquilo.

Já para a parte emocional dos sintomas a gente sugere que você pratique técnicas para se acalmar. E uma das técnicas mais simples para fazer isso se chama respiração diafragmática.

Tratamento para crise de estresse com a Eurekka

A Eurekka é a maior clínica de terapia online do Brasil e a gente trata muitos casos de estresse. E o maior foco do tratamento para a gente é aumentar sua competência, para que você sinta que está no controle da sua vida e que sabe resolver os seus problemas. Ao mesmo tempo, a gente também quer que você seja mestre nessas técnicas para reduzir os sintomas físicos.

Dessa forma, a gente tem o melhor dos dois mundos e você consegue viver uma vida intensa, sem ser estressante. E se você quiser saber mais sobre a terapia da Eurekka, fazer uma conversa inicial e iniciar o seu treinamento, clica aqui!

Parabéns por ter procurado informação e ter chegado até aqui, nós estamos muito orgulhosos de você! Curtiu o texto? Para acessar mais conteúdos gratuitos como esse sobre psicologia e saúde emocional, clique na rede social que preferir: Instagram, Facebook e YouTube!