Paralisia do sono: por que acontece? Entenda como tratar!

JUNTE-SE A MAIS DE 150.000 PESSOAS
Receba o Momento Eurekka com dicas semanais de Saúde Emocional exclusivas:

Imagina acordar no meio da noite com uma criatura bizarra olhando para você e não conseguir se mexer ou pedir ajuda. Essa é, possivelmente, uma das experiências mais assustadoras que alguém pode presenciar, porque a pessoa sabe que está acordada mas fica completamente imóvel e presa no pesadelo. No entanto, essa sensação estranha é bem explicada pelos cientistas e se chama paralisia do sono!

A sensação é tão apavorante que pode ser vista como um fenômeno sobrenatural por algumas culturas. No Sudeste do Brasil, por exemplo, ela parece ter dado origem à lenda da Pisadeira. Nessa história, uma mulher magra com cabelos desgrenhados e aparência assustadora pisa no peito das pessoas durante a noite e não deixa elas respirarem ou se moverem.

Até o fim desse texto, você vai entender qual é a melhor explicação para esse fenômeno, o que pode causá-lo, quais os sintomas que a pessoa pode sentir e qual o melhor tratamento para a paralisia do sono. Ainda, você aprenderá um passo a passo simples para dormir melhor e evitar ter paralisia do sono!

O que é paralisia do sono?

A paralisia do sono acontece quando a atividade cerebral e corporal se desordenam, fazendo com que o cérebro acorde antes do corpo. O cérebro desperta, mas os músculos continuam dormentes! Dessa forma, a consciência sobre o que se passa na volta está ativa, mas a pessoa não consegue se mexer, falar ou abrir os olhos. Um dos sintomas recorrentes é a alucinação – que pode ser auditiva, visual ou tátil.

Essa condição é bastante comum e atinge quase 8% da população em algum momento das suas vidas (1 a cada 1000 habitantes), sendo mais comum entre estudantes e pessoas com distúrbios psiquiátricos. O tempo de duração do episódio pode variar entre 20 segundos e 4 minutos, embora a sensação de quem o experiencia é de que é muito mais longo.

A paralisia do sono costuma acontecer durante o período perto de acordar ou adormecer, na fase mais leve do sono, onde se passa a transição entre os chamados “estado de sono” e de “vigília”. Nessa fase, chamada de sono REM, os sonhos são bastante vívidos e o nível de atividade cerebral é parecido com o de quando estamos plenamente despertos.

Sono REM

O sono REM é um sigla em inglês que significa “movimento rápido dos olhos” (em inglês, “rapid eye movement”). Nele, os olhos movem-se rapidamente devido a ação do tálamo e a atividade cerebral é parecida com quando estamos acordados. As pessoas que são acordadas durante o sono REM, normalmente, se sentem alertas, dispostas e com muita atenção!

Uma pessoa tem, habitualmente, cerca de 4 ou 5 períodos de REM que são bem curtos no começo da noite e mais longos no fim. Porém, a quantidade desse sono diminui com a idade! Por exemplo, um bebê recém nascido dorme mais de 80% do tempo em sono REM, já um idoso dorme menos de 10%. Já a média para um adulto jovem é de 20% do tempo total de sono.

No REM, o cérebro bloqueia algumas das nossas funções motoras para evitar que o corpo obedeça às ordens sonhadas ou encene elas. Se isso não acontecesse, poderia resultar em ameaças a nós mesmo, como acontece com as pessoas que são sonâmbulas, por exemplo. E é assim que ocorre a paralisia do sono.

Entendendo as causas

homem dormindo com paralisia do sono

Os especialistas falam que a maioria das pessoas vai experimentar a paralisia do sono pelo menos uma ou duas vezes na vida e que existem alguns hábitos e condições que aumentam a probabilidade dessa ocorrência, como:

1. Privação do sono e stress

A paralisia do sono tem sido mais frequente em pessoas com maus hábitos de sono. Horário de sono desregulado, stress e cansaço podem aumentar as chances de desencadear um episódio de paralisia do sono. O sono é fundamental para ter uma boa qualidade de vida e adultos precisam dormir de 7 a 9 horas por dia.

Pessoas com rotinas estressantes, como profissionais da saúde, bombeiros, policiais e educadores, costumam ter o sono mais fragilizado. Portanto, podem vivenciar a paralisia do sono mais facilmente e até mesmo com certa recorrência.

2. Distúrbios psiquiátricos

Todo mundo está sujeito a ter paralisia do sono, entretanto, certos grupos estão em maior risco do que outros. Os grupos de alto risco incluem pessoas que possuem transtorno de ansiedade, depressão profunda, transtorno bipolar ou transtorno de estresse pós-traumático (TEPT).

3. Distúrbios do sono

Muitas pessoas que frequentemente passam pela paralisia do sono também sofrem de distúrbios do sono. Alguns dos distúrbios mais associados à paralisia do sono são:

Narcolepsia

A narcolepsia é caracterizada pela sonolência excessiva diurna e estimula as ocorrências tanto de paralisia, quanto de alucinações. As pessoas com narcolepsia dormem aproximadamente o mesmo número de horas que as pessoas sem a condição, mas a qualidade do sono tende a ser pior.

Jet Lag

O jetlag é um distúrbio temporário do sono que pode afetar pessoas que viajam rapidamente em vários fusos horários. E ele ocorre quando o relógio biológico do corpo está fora de sincronia com os sinais de um novo fuso horário.

Insônia

A maioria dos casos de insônia está relacionada a maus hábitos de sono, a depressão, a ansiedade, a falta de exercícios físicos, a ocorrência de doenças crônicas ou ao uso de certos medicamentos. Os sintomas podem incluir:

  • Dificuldade para dormir ou permanecer dormindo;
  • Não se sentir descansado.
exercício para combater insônia durmazen

Quais são os tratamentos para paralisia do sono?

Uma grande auxiliar no tratamento da paralisia do sono é a manutenção de horários para dormir, respeitando os turnos. Ou seja, dormir pelo menos 7 horas por dia, evitando exercer atividades noturnas estimulantes, como: trabalho, jantar, uso de aparelhos eletrônicos e exercícios físicos.

Se você estiver passando por um episódio de paralisia do sono, algumas atitudes podem te ajudar a sair da paralisia ou a deixar esse momento um pouco menos doloroso. Por exemplo:

1. Procure manter a calma

Quanto mais tranquilo você estiver, mais rápido o episódio vai passar! Tente se lembrar de que não existe um perigo real, que o episódio é temporário, e se concentre na sua respiração.

2. Tente fazer pequenos movimentos

Relaxe o corpo e não lute contra a imobilização, depois comece a tentar pequenos movimentos com os dedos e com a ponta da língua. Se não conseguir, imagine que está se movimentando.

3. Repita um mantra positivo

Se estiver tendo alucinações auditivas, confronte-as com palavras positivas como por exemplo: “estou bem e estou tendo uma boa noite de sono, daqui a pouco já vou acordar”, ou qualquer coisa que te deixe mais calmo.

Caso a paralisia do sono se manifeste como um sintoma isolado, não há maiores problemas. Mas caso a paralisia do sono persista durante mais de três ou quatro semanas contínuas, ou se estiver atrapalhando a qualidade de vida da pessoa, é importante consultar um profissional.

Medicação para paralisia do sono

Existem medicamentos que são usados para tratar a paralisia do sono. No entanto, devem ser tomados somente sob prescrição médica. Não existem danos físicos conhecidos que a paralisia do sono possa causar.

Como a duração deste fenômeno costuma ser breve, não implica no prejuízo de nenhum tecido muscular nem problemas nas funções vitais, como a respiração e o sistema cardiovascular. No entanto, as sensações extremamente desagradáveis sentidas durante os episódios podem influenciar negativamente o seu dia a dia.

Terapia para paralisia do sono

Fornecer conforto e apoio emocional às pessoas que sofrem de paralisia do sono se torna essencial quando o principal prejuízo que ela gera é no bem-estar e no estado emocional. Principalmente considerando que este fenômeno está ligado a transtornos de ansiedade, bipolaridade, entre outros.

Além disso, a paralisia do sono pode fazer com que a pessoa desenvolva o medo de dormir e, consequentemente, desregule o seu sono. Nesse sentido, o tratamento emocional faz com que a pessoa se fortaleça e consiga enfrentar da melhor forma os episódios.

Higiene do sono: 6 dicas para dormir melhor

A Higiene do Sono pode ser definida como a mudança ou a organização de hábitos e atividades buscando a melhor indução e qualidade do sono. Atividades rotineiras podem auxiliar ou prejudicar o sono. Por isso, vamos te dar 6 dicas para melhorar a sua rotina de sono:

  1. Se possível, reserve o seu quarto, ou pelo menos a área da sua cama, apenas para dormir. Não fazer outras atividades na cama ensina o seu cérebro que sempre que você se deitar é para dormir;
  2. Evite tomar substâncias estimulantes antes de dormir, como: café, refrigerante, energético ou álcool;
  3. Não pratique exercícios físicos nas 3 horas anteriores a hora de dormir;
  4. Evite barulho ou luzes fortes e brancas na hora de dormir;
  5. Evite comer em excesso antes de deitar-se;
  6. Garanta o conforto da cama e do ambiente.

Tratamento da Paralisia do Sono com a Eurekka

sede presencial da Eurekka

Se você acha que sofre com a paralisia do sono ou conhece alguém que esteja passando por isso, nós queremos te ajudar. Somos uma clínica de psicologia que oferece psicoterapia online e presencial.

Você não precisa passar por isso sozinho! Um psicoterapeuta Eurekka pode te ajudar a superar essa situação e tornar a sua rotina e a sua vida muito mais felizes. Para marcar uma conversa inicial, sem compromisso, clica aqui!

Fique a vontade também para acessar hoje nossas páginas nas redes sociais, como: Instagram, Facebook e Youtube!

🥰 Este artigo te ajudou?

0 / 5 4.92

Compartilhe com seus amigos

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Artigos Relacionados

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

QUER MAIS?

TENHA A EUREKKA NA PALMA DA SUA MÃO
Instale o nosso aplicativo no seu celular.