Relacionamento abusivo: como identificar? 5 alertas + soluções

JUNTE-SE A MAIS DE 150.000 PESSOAS
Receba o Momento Eurekka com dicas semanais de Saúde Emocional exclusivas:

Você saberia identificar se estivesse em um relacionamento abusivo? Esse assunto é super importante, principalmente levando em conta que, atualmente, os números de feminicídio vêm aumentando consideravelmente.

É claro que não são todos os relacionamentos abusivos que terminam em morte física, mas sempre que falamos de relacionamentos abusivos estamos falando de uma morte: morte da liberdade, do amor próprio e do auto respeito.

O que é um relacionamento opressivo?

Nas relações opressivas há uma diferença muito grande de poder de uma parte do casal em relação a outra, ou seja, uma posição de desigualdade. Esse tipo de relacionamento segue alguns padrões e gera sentimentos recorrentes como dúvidas, confusão mental, ansiedade, insegurança e esperança de que o parceiro mude e os abusos cessem.

Estar em um relacionamento tóxico não quer dizer, necessariamente, agressão física. Muitas vezes a violência toma outras formas, como a violência psicológica, sexual e financeira. É muito mais difícil identificar a agressão psicológica do que a física, por exemplo, porque, na maioria das vezes, ela se inicia de maneira muito sutil e vai se desenvolvendo com o tempo.

Essas relações são muito perigosas e uma de suas características é a grande dificuldade de romper. Quem está em uma, geralmente, só percebe quando já está muito dependente do seu agressor. É comum também que a vítima perca sua independência financeira, se afaste de todos os amigos e tenha dificuldade de perceber que isso é algo ruim para ela.

Vai havendo uma dominação gradual e a vítima passa a pensar com a cabeça do abusador a longo prazo. O abuso psicológico distorce a visão da realidade e tem um impacto enorme na autoestima. A vítima não consegue mais confiar em si e se sente culpada pelo que sente, porque o abusador diz que a ama.

Como identificar um relacionamento abusivo?

casal brigado com relacionamento abusivo

Muitas pessoas romantizam o ciúmes e já começam o relacionamento percebendo possessividade como uma forma de amor. Um relacionamento deve ser prazeroso para todas as partes incluídas e se você está sempre pisando em ovos, tem que tomar constante cuidado com o que fala, veste e com quem se encontra ou conversa, você está em um relacionamento tóxico. Alguns indícios da manipulação psicológica são:

  • Seu parceiro vive te criticando.
  • Te humilha e te põe pra baixo.
  • Ridiculariza as coisas que você fala quando estão com outras pessoas, às vezes em forma de brincadeira.
  • Fica emburrado por razões que não fazem sentido pra você.
  • Te ignora e te trata com frieza.
  • Te dá indícios de infidelidade e, quando você questiona, diz que você é maluca/o.
  • Trai e diz que é porque você não dá valor ao relacionamento.
  • Quando você faz algo que desagrada seu parceiro, ele some e não responde nenhuma mensagem ou ligação.
  • Fica frequentemente mal humorado quando está com você, mas é super legal quando vocês estão perto de outras pessoas.
  • Te faz sentir uma pessoa inadequada.
  • Diminui suas conquistas como se estivesse com inveja.
  • Te isola da sua família e amigos.
  • Te controla financeiramente;
  • Se você percebe o que está acontecendo, e quer se separar, ele diz que vai se matar.

Se você identificou seu relacionamento em 5 ou 6 itens, você provavelmente está em um relacionamento com abuso psicológico. E talvez seja o momento de tomar uma atitude!

5 sinais de um relacionamento abusivo

casal discutindo a relação abusiva

Abusadores podem ser muito bons no que fazem e encontram diferentes formas de obter controle sob suas vítimas, sem que elas percebam. Por isso, é preciso estar atento aos principais sinais que denunciam um relacionamento opressivo.

1. Ciúmes e desconfiança em excesso

Frases como: “eu confio em você, mas não confio nos outros”. O agressor controla com quem o parceiro está e as roupas que usa. E isso demonstra que ele não o vê como um ser humano, com vontades próprias, mas sim como uma coisa que ele pode controlar.

2. Só uma pessoa tem a culpa de tudo

Frases como: “você me provoca, você sabe que eu tenho ciúmes e fica querendo sair”. O agressor instaura culpa no parceiro e o faz achar que é o errado em todas as situações. Assim, a vítima fica cada vez mais insegura e acaba desistindo de fazer o que gosta.

3. Isolamento

Frases como: “não existe amizade entre homem e mulher” e “sua amiga é uma má influência pra você”. O agressor começa a não deixar o parceiro ter amigos e contato com a família, então a vítima vai perdendo a autonomia e criando uma maior dependência.

4. Comportamentos agressivos

O agressor tem atitudes como segurar com força, empurrar ou forçar o sexo. Pode também quebrar objetos ou esmurrar a parede para comunicar que ele está fazendo isso para não bater diretamente no parceiro.

5. Promessas que nunca acontecem

Na ameaça de término, o agressor pede desculpas e promete mudar, mas nunca muda. A vítima cria esperanças e continua no relacionamento.

As 3 fases do relacionamento abusivo:

Geralmente, as relações tóxicas funcionam em um ciclo de três fases que se retroalimentam e se repetem constantemente. São elas:

1. Tensão

Na primeira, a principal característica é a tensão. É quando a vítima vai cedendo e não corta o cabelo porque o agressor não quer, por exemplo, não mantém contato com os amigos ou para de trabalhar.

2. Crises

A segunda fase é caracterizada por crises. É quando ocorrem efetivamente brigas, discussões, abusos físicos ou sexuais.

3. Lua de mel

Já a terceira, e última fase, é a que os especialistas chamam de “lua de mel”. É a fase depois da briga, onde acontecem conversas íntimas, sexo intenso e o agressor promete que vai mudar.

Tudo isso gera um combo de medo, culpa e vergonha na vítima. Esse ciclo é eterno em uma relação abusiva, mas pode variar em duração. Por exemplo, um agressor pode bater em sua vítima um vez por ano e no resto do tempo apenas ameaçar sutilmente. Já em outro relacionamento, pode não haver violência física, mas a vítima passa por todas essas fases em um só dia.

O que fazer quando está em um relacionamento abusivo?

Tem uma hora que não dá mais para fingir que não se percebe os maus-tratos, e é muito difícil para a vítima de um relacionamento abusivo encarar o fim da relação. Afinal, ela se esforçou muito para que desse certo. Quanto mais tempo ela está na relação, mais difícil para ela é sair – e maior é o sentimento de fracasso acompanhado do término.

1. Perceber que está em um relacionamento abusivo

O primeiro passo para acabar com um relacionando opressivo, é que a vítima perceba realmente o quão tóxico ele é para ela, já que o seu senso de realidade é alterado pela relação e suas emoções ficam confusas. Quando você olha para o seu próprio relacionamento e percebe que ele não é mais um relacionamento saudável, esse é o momento em que deve procurar ajuda.

Depois disso, é importante que ela crie uma rede de apoio com amigos ou familiares.

Nesse momento, a vítima precisa se sentir protegida e recuperar a autoestima que ela perdeu durante o relacionamento. Além disso, ela precisa de pessoas que a ajudem a perceber que ela é uma vítima e que não tem culpa dos abusos que sofreu.

2. Buscar terapia com psicólogo

Buscar terapia é um passo essencial nessa situação e ajuda a vítima a entender porque alguém se envolve em relacionamentos tóxicos, principalmente se isso for um padrão. Assim, ela consegue ter mais controle e poder de escolha sobre os seus relacionamentos futuros, além de conseguir identificar melhor os abusos e lidar com os traumas que eles deixam. Se a pessoa ainda não conseguiu romper com o seu abusador, a terapia serve, também, de apoio durante todo o processo.

Se durante a vida toda você entrou e saiu de relacionamentos ruins, dolorosos e conflituosos, busque ajuda. E se você está em um relacionamento assim agora e quer sair, disque 180. Se você for uma mulher, e estiver sofrendo violência doméstica física ou psicológica, a Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência pode te ajudar.

Ela foi criada para ajudar mulheres recebendo denúncias de assédio e violência, e as encaminhando para os órgãos competentes. Não se sujeite a isso, todas as pessoas têm direito a felicidade.

Materiais gratuitos da Eurekka

Se você acha que está em uma relacionamento abusivo ou conhece alguém que esteja passando por isso, nós queremos te ajudar. O primeiro passo você já deu: procurou saber mais sobre o seu problema e reconhecer que ele existe.

Mas você não precisa passar por isso sozinha!

Um psicoterapeuta Eurekka pode te ajudar a superar essa situação e tornar a sua rotina, as suas relações e a sua vida muito mais felizes. Se você quiser saber mais sobre a terapia da Eurekka e marcar sua primeira conversa com a Eurekka, é só clicar aqui! E para acessar mais conteúdos gratuitos como esse sobre psicologia e saúde emocional, clique na rede social que preferir: InstagramFacebook e YouTube!

🥰 Este artigo te ajudou?

0 / 5 0

Compartilhe com seus amigos

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Artigos Relacionados

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

QUER MAIS?

TENHA A EUREKKA NA PALMA DA SUA MÃO
Instale o nosso aplicativo no seu celular.