Síndrome das Pernas Inquietas: por que não consigo parar de mexer as pernas?

JUNTE-SE A MAIS DE 150.000 PESSOAS
Receba o Momento Eurekka com dicas semanais de Saúde Emocional exclusivas:

A Síndrome das Pernas Inquietas é um distúrbio que pode se manifestar em qualquer faixa etária. Aparece, em especial, em adultos e pessoas mais velhas, sendo mais rara nas crianças.

É uma síndrome que prejudica muito o bem estar, na qual a pessoa sente urgência em mexer as suas pernas. Nesse texto, irei te explicar com mais detalhes o que é a síndrome, as suas causas, os sintomas e como buscar ajuda.

Além disso, irei falar sobre os tipos de tratamento para a mesma e o que se recomenda. Se você tem interesse pelo assunto, esse texto é para você!

O que é Síndrome das Pernas Inquietas?

dormindo com síndrome das pernas inquietas

Também se conhece a Síndrome das Pernas Inquietas como Síndrome de Ekbom. Ela é um distúrbio, no qual ocorrem alterações com relação à sensibilidade e à agitação motora nos membros inferiores, de maneira involuntária.

Em outras palavras, a pessoa com essa síndrome tem uma vontade incontrolável de mexer as pernas, as movimentando de forma involuntária.

Essa movimentação dos membros costuma ocorrer nos momentos em que a pessoa está dormindo, o que atrapalha muito a qualidade do seu sono. Nos casos mais graves desse distúrbio, os braços podem ser afetados também.

Causas da Síndrome das Pernas Inquietas

Ainda não se sabe quais são, ao certo, as causas desta síndrome. Contudo, a predisposição genética é um grande fator e que influencia que a síndrome apareça.

Além disso, a falta de dopamina e de ferro em certas regiões motoras do cérebro está relacionada à episódios de movimentos involuntários e repetitivos. Esses movimentos são comuns da síndrome, portanto, se acredita que essas substâncias estejam relacionadas.

Sintomas da Síndrome das Pernas Inquietas

dor nas pernas

O principal sintoma dessa síndrome é, como já comentado, a necessidade de manter as pernas em movimento. Porém, há outros sintomas também.

Sintomas gerais

Entre os sintomas gerais estão a urgência em mexer as pernas quando se está deitado ou sentado com as pernas endireitadas. Outros sintomas são perder essa vontade de mexer as pernas quando se está realizando algum movimento intencional, como cruzar elas.

Além destes, sintomas comuns são sentir o aumento dos sintomas no período da noite, bem como ter crises de movimentos repetidos enquanto se está dormindo. Durante o sono, isso faz com que a pessoa mexa as pernas e chute a noite toda.

Sintomas nas pernas

Além dos sintomas gerais que surgem com a síndrome, alguns sintomas mais específicos, nas pernas, são observados. São sintomas como: formigamento, arrepios, latejamento, fisgadas, comichões, dores e queimações.

banner eurekka med

Buscando ajuda médica: quando procurar ajuda?

Muitas pessoas convivem com essa síndrome, porém não fazem ideia disso. Muitas vezes não percebem, não sabem da existência da síndrome, ou, até mesmo, não dão atenção ao problema, pois ele não incomoda.

Com o tempo, a Síndrome das Pernas Inquietas começa a piorar e atrapalhar a qualidade de vida. Atrapalha o sono, fazendo com que a pessoa não tenha um bom desempenho nas suas tarefas diárias e esteja sempre cansada.

Por isso, o ideal é buscar ajuda médica assim que possível, e quando os sintomas não parecem passar. Se pode consultar neurologistas e clínicos gerais para essa síndrome.

Diagnóstico

Se realiza o diagnóstico dessa síndrome, quase de maneira total, de forma clínica, analisando os sintomas do paciente. Segundo o Grupo Internacional de Estudos da Síndrome das Pernas Inquietas, pode se levar certos sintomas em consideração para a confirmação da síndrome.

Entre esses sintomas estão o desejo forte e urgente de mexer as pernas, a sensação desconfortável nos membros inferiores após essa movimentação, a piora dos sintomas quando se está sentado ou deitado, bem como os sintomas serem aliviados e minimizados quando se faz atividades físicas, como caminhadas ou alongamentos.

Além disso, se os sintomas pioram durante a noite e/ou não podem ser explicados por alguma condição mental ou física, é mais uma comprovação da síndrome.

Exames

Para que se possa confirmar essa síndrome com maior certeza, não basta apenas a avaliação dos sintomas do paciente. O médico ainda irá requisitar certos exames a ser realizados, para que ter uma confirmação mais confiável e correta.

Um dos exames que se pode pedir é uma eletromiografia. Durante esse exame, se coloca agulhas no músculo “problemático”. A agulhas irão funcionar como eletrodos, e vão verificar a atividade elétrica durante as contrações do músculo.

Também pode se realizar um exame de velocidade de condução nervosa. Esse exame serve para medir quanto tempo os nervos levam para responderem a um impulso que se cria através de uma corrente elétrica fraca. Se usa essa corrente para estimular os nervos.

Ademais, outro teste que se pode fazer é a polissonografia. É um exame do sono, que é feito para analisar o sono. Se analisa atividades como os batimentos cardíacos, a atividade cerebral, a muscular, a respiração e o movimento dos olhos.

Além disso, realizar testes das dosagens de substâncias que transportam o ferro no organismo, em especial a ferritina e tranferrina, são testes que ajudam a confirmar o diagnóstico da síndrome.

Doenças relacionadas a Síndrome das Pernas Inquietas

síndrome das pernas inquietas dormir

Algumas outras doenças têm sintomas parecidos aos da Síndrome das Pernas Inquietas. Entre elas estão: neuropatia diabética, problemas circulatórios, fibromialgia, doenças musculares e, também, a doença de Parkinson.

Tratamento

Muitas vezes, outros problemas podem estar sendo a causa da Síndrome das Pernas Inquietas. Nestes casso, se pode resolver a síndrome através do tratamento desse outro problema, que pode ser, por exemplo, uma anemia ou neuropatia.

Quando esse não é o caso, se deve focar em especial no tratamento da síndrome. Ele pode ser feito tanto através de remédios, quanto pela mudança de hábitos.

Medicamentos

Não há remédios que são específicos e exclusivos da Síndrome das Pernas Inquietas. Porém, remédios usados para outros problemas também se fazem eficazes para tratar a síndrome.

Para os casos mais leves, se costuma usar benzodiazepínicos , os quais são remédios para dormir e relaxantes musculares também. Nos casos mais graves de manifestação da síndrome, se costuma recomendar o uso de remédios que aumentam a dopamina no cérebro, como pramipexole e ropinele. Eles estimulam a dopamina no cérebro, porém não aumentam seus níveis no sangue periférico.

Além disso, remédios que mexem nos canais de sódio podem ser usados, além de opiódes – os quais devem ser usados com cuidado, pois podem causar vícios se usados em grande quantidade.

É vital saber que, com o tempo, o uso destes remédios pode acabar perdendo seu efeito e se tornarem ineficazes. O uso de antidepressivos e antipsicóticos pode tornar piores os sintomas da síndrome, portanto, se deve discutir o seu uso com um médico.

Além disso, o uso de certos remédios que tratam a síndrome não é indicado durante uma gravidez, sendo que mudar seus hábitos, ao invés de tomar remédios, é uma opção mais indicada.

Mudança de Hábitos

Além de remédios, certas mudanças de hábitos na sua vida podem melhorar os sintomas da Síndrome das Pernas Inquietas, e auxiliar no seu tratamento.

Fazer massagens e tomar banhos mornos são opções que ajudam no relaxamento dos músculos. Técnicas de ioga e meditação auxiliam a reduzir o estresse do dia a dia, o que pode ajudam a minimizar os problemas, uma vez que o estresse pode agravar os sintomas.

Cuidar bem do seu sono é uma ótima opção, uma vez que a fatiga pode piores bastante os sintomas que vêm com a síndrome. Além disso, a prática regular de atividade física, de maneira moderada e com orientação profissional, pode ajudar nos sintomas da síndrome, também.

Por fim, outras opções são reduzir o consumo de cafeína – como chocolates, café, refrigerante e chás.

Qual remédio é bom para pernas inquietas?

mulher com síndrome das pernas inquietas

Como para qualquer tipo de problema ou doença, apenas um médico especializado pode prescrever e recomendar o uso de algum remédio.

Alguns dos remédios que mais são usados para o Síndrome das Pernas Inquietas são Clopam, Rivotril e Clonazepam.

Recomendações

É vital não subestimar queixas e reclamações de crianças e de idosos. Uma criança que fica muito inquieta e agitada na hora de dormir, deve ser levada a sério e levada ao médico também. Do mesmo modo, não se deve negligenciar os idosos. Os sedar, por exemplo, pode piorar muito a situação se o problema for a Síndrome das Pernas Inquietas.

É vital procurar assistência médica especializada quando se sabe que o problema é a síndrome, uma vez que a mesma afeta muito a qualidade de vida da pessoa.

Além disso, para os que convivem com ela, o agravamento dos sintomas pode tornar insuportável a vida da pessoa e também de quem divide o quarto com a mesma. Por isso, a realização do tratamento de maneira adequada é imprescindível.

Consumir álcool, cafeína e fazer o uso de cigarros não é recomendado.

E por fim, para conferir conteúdos gratuitos da Eurekka, você pode baixar o nosso app e seguir nossas redes sociais: FacebookInstagram e Youtube.

🥰 Este artigo te ajudou?

0 / 5 0

Compartilhe com seus amigos

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Artigos Relacionados