Como identificar um psicopata? 10 sinais e comportamentos

JUNTE-SE A MAIS DE 150.000 PESSOAS
Receba o Momento Eurekka com dicas semanais de Saúde Emocional exclusivas:

Uma pessoa psicopata existe além de filmes e séries, e são pessoas como nós, vivem uma vida comum e mantêm relacionamentos – mas, por dentro, escondem uma parte obscura.

Para você entender mais sobre isso, este artigo vai explicar o que é a psicopatia, quais os comportamentos comuns em psicopatas e como identificar um psicopata, além dos testes possíveis.

O que é psicopatia?

psicopatia

A psicopatia é um transtorno de personalidade, assim como o narcisismo e o borderline, que consiste em uma disfunção de caráter, fazendo com que o psicopata seja menos empático e mais indiferente em relação aos sentimentos alheios. Para a psicologia, a psicopatia é conhecida como Transtorno de Personalidade Disfuncional.

No mundo todo, temos entre 1% a 3% de pessoas psicopatas. O diagnóstico é complicado, porque muitos profissionais não estão aptos a analisar este tipo de situação, supondo que as características impulsivas e insensíveis sejam, por exemplo, episódios de manias de quaisquer outros distúrbios.

Qual a diferença entre psicopata e sociopata?

Os sociopatas são pessoas capazes de cometer atos antissociais ao longo da vida, agindo apenas em benefício próprio e sem se importar com as consequências para outras pessoas. São pessoas impulsivas e mentirosas, porque estes comportamentos os ajudam a chegar mais onde querem.

Os psicopatas também possuem todas essas características, porém com um “plus”: estas pessoas cometem maldades pelo puro prazer de fazer o mal, e não só como consequência de atos para benefício próprio. Se seduzem alguém e manipulam esta pessoa, por exemplo, não precisa ser para um fim maior, mas sim porque é isso que o psicopata pretendia fazer.

Se isto parece vilão de desenho para você, é só pensar no caso de pessoas sádicas. O sadismo consiste em sentir prazer com o sofrimento de outra pessoa, com a dor física e a humilhação. Embora, nestes casos, essa situação seja consentida entre os parceiros, o psicopata se sente como o sádico: sente prazer pela dor do outro, sem sentir culpa ou remorso.

10 sinais e comportamentos de um psicopata

psicopata

Confira a seguir dez atitudes que são muito frequentes em pessoas psicopatas.

Conta muitas mentiras

Como o psicopata pensa só em conseguir o que quer, não teria porque, no raciocínio dele, não usar todos os artifícios cabíveis para conquistar aquilo que deseja. Pode ser considerado um mentiroso patológico.

Gosta de adrenalina

Os psicopatas gostam de sentimentos intensos e, por isso, a adrenalina precisa estar sempre presente. Não são fãs de rotina e até mesmo de manter relacionamentos, seja com amigos, família ou parceiros.

É impulsivo

Já que a impulsividade torna tudo mais emocionante e aumenta a adrenalina, este também é um comportamento comum em pessoas com este transtorno. A mania impulsiva, inclusive, é um dos comportamentos que torna mais difícil a convivência com psicopatas.

Tem a fala persuasiva e conquistadora

Assim como mentir, a persuasão ajuda a conquistar o que eles quiserem. Os psicopatas costumam ser muito funcionais, se adaptando de acordo com o ambiente para agirem como for melhor para eles.

Se estressa e explode com facilidade

Junto com a impulsividade, este ato dificulta muito a convivência com os psicopatas. Pessoas com o transtorno tendem a não ter paciência, porque a paciência é, em especial, uma questão de educação e sociabilidade.

Não se sente culpado

O psicopata não consegue sentir remorso nem culpa por agir de forma antissocial. A teoria é que ele não sente a necessidade de seguir os protocolos sociais como nós sentimos, e, por isso, não se sente culpado por agir “fora da linha”.

Não sente empatia pelos outros

Todas as mentiras e as ações persuasivas e manipuladoras são feitas porque o psicopata não sente empatia, ou seja, não se coloca no lugar do outro e não pensa nos sentimentos das pessoas à sua volta. Todas as ações do psicopata são em prol dele mesmo.

Possui sentimentos superficiais

De acordo com o psicólogo canadense Robert Hare, um psicopata ama uma pessoa assim como amamos um carro, ou seja, não é igual ao nosso amor por pessoas queridas, mas sim um sentimento superficial. Um psicopata não consegue vivenciar as emoções e sentimentos como nós as vivenciamos.

É irresponsável

Quando o psicopata é muito impulsivo, muitas vezes pode ser também irresponsável. Tanto no sentido amplo, de não comparecer ao trabalho ou a eventos importantes, como aniversários, quanto no sentido emocional, magoando pessoas à sua volta e agindo só de acordo com seus próprios interesses.

Acumula más atitudes desde a infância

Como a psicopatia tende a ser uma questão genética, os psicopatas já nascem assim e, portanto, podem ter más atitudes e agir de forma egoísta e agressiva desde a infância. No entanto, é mais difícil identificar a psicopatia nas crianças, já que elas estão ainda se adaptando às regras sociais e aprendendo o que é aceitável ou não de se fazer.

banner terapia

Como identificar um psicopata?

Apesar de elencarmos aqui sinais de um psicopata, o diagnóstico só pode ser feito por um médico psiquiatra, que pode ou não ter apoio de um psicólogo, caso o paciente já se consultasse antes.

Este diagnóstico é feito analisando características pessoais junto com a escala de Robert Hare, que explicaremos a seguir.

Psicopata mulher x psicopata homem

A psicopatia em grau grave é mais comum em homens do que em mulheres, segundo estudo do Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino. Além disso, o transtorno se manifesta de formas diferentes entre homens e mulheres.

As mulheres psicopatas tendem a ser menos impulsivas que os homens com a mesma condição. Por isso, o diagnóstico correto demora muito mais tempo para ser dado e, portanto, o tratamento correto também é protelado.

No caso dos homens, o transtorno fica mais evidente na fase da adolescência, porque os transtornos de personalidade como um todo costumam se manifestar mais entre a adolescência e o começo da fase adulta.

A maioria dos psicopatas não matam nem torturam, como vemos nos filmes. Na maior parte das vezes, são “apenas” narcisistas e manipuladores, com graus e manifestações que variam de acordo com a personalidade de cada gênero. Homens e mulheres vão manifestar suas impulsividades e suas tendências sexuais de formas diferentes, por exemplo.

Teste de Psicopatia

como é possível identificar um psicopata

O teste de psicopatia de Robert Hare, psicólogo especialista em conduta criminal e psicopatia, se chama PCL-R e surgiu em 1990.

Ele serve não só para avaliar a presença de traços psicopáticos, mas também para avaliar o grau de violência de uma pessoa. Como os casos de psicopatia são muito altos entre a população carcerária, muito se utiliza do teste em prisões. Mas também se pode usá-lo na clínica e na área forense.

O teste consiste em vinte perguntas que avaliam se o comportamento da pessoa e, de acordo com suas respostas, é similar ao comportamento típico de um psicopata. O avaliador deve dar uma nota de 0 a 2 para cada pergunta, levando em conta também o histórico criminal da pessoa entrevistada. Esta “entrevista” dura uma hora e meia.

Escala de Robert Hale

A escala é o nível de pontuação que citamos antes, de 0 a 2 para cada um dos itens (ou perguntas) respondidos.

Há três pontuações possíveis para cada uma das perguntas: 0, que significa que o item não se aplica ao entrevistado; 1, que significa que o item se aplica um pouco; 2, que significa que o item com certeza se aplica. A pontuação pode ir de zero, caso marque 0 em todos os itens, à quarenta, caso marque 2 em todos os itens.

Resultados

Ao final das perguntas, o entrevistador compara o resultado obtido com a escala de Robert Hare para avaliar o grau de psicopatia.

A partir da escala e da comparação das respostas, pode-se obter os resultados. Se a pontuação do entrevistado for superior a trinta pontos, se considera o indivíduo como psicopata.

Tratamentos: psicopatia tem cura?

como identificar um psicopata é possível

O tratamento de psicopatia consiste em reduzir os sintomas – como a agressividade, a impulsividade e o estresse -, mas não faz com que a pessoa deixe de ser psicopata. O ideal é que você tenha um psicológico junto com o processo psiquiátrico.

Os psiquiatras costumam receitar lítio, antidepressivos, benzodiazepínicos, psicoestimulantes e neurolépticos. No entanto, estes tratamentos isolados não costumam surtir efeito.

O maior problema no tratamento de psicopatia se dá por, pelos indivíduos serem narcisistas, só quererem fazer as coisas do jeito deles, é muito difícil que procurem ajuda psiquiátrica por conta própria.

E por fim, para conferir conteúdos gratuitos da Eurekka, você pode baixar o nosso app e seguir nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Youtube!

🥰 Este artigo te ajudou?

0 / 5 5

Compartilhe com seus amigos

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Artigos Relacionados