Você já se perguntou se a tristeza ou o desânimo que você está sentindo são ou não uma depressão? No texto de hoje, a gente vai explicar um pouquinho sobre depressão e redirecionar você para um teste de depressão na seção de testes da Eurekka, onde você vai poder fazer dois testes excepcionais para avaliar se você pode ou não estar com depressão.

O que é depressão?

A depressão é um distúrbio que se caracteriza por desânimo e pela perda de interesse em atividades do dia-a-dia, que normalmente eram prazerosas para você. Ou seja, é uma espécie de redução da sua vitalidade.

No dia-a-dia, a gente fala sobre estar deprimido ou não de maneira super solta. E isso não quer dizer que você não deve estar atento a se você está triste há vários dias ou a se você perdeu um pouco o interesse nas atividades que antes gostava.

Agora, saber se você está mesmo desenvolvendo ou não uma depressão vai ser uma questão de avaliação por um profissional da saúde – um psicólogo ou um médico.

O teste que eu quero apresentar para você pode sim ajudar a identificar e, especialmente, colocar você numa posição de avaliar os riscos de estar ou não com uma depressão – e de buscar um profissional da área, aqui na Eurekka ou em outro lugar.

Como saber se eu estou com depressão?

A verdade é que a gente utiliza um Manual de Diagnósticos Internacional, chamado DSM, para poder avaliar se os seus sintomas são só algo que é corriqueiro, do seu dia-a-dia, de uma fase ruim, ou se eles realmente podem ser chamados de uma depressão.

Para que o diagnóstico da depressão possa ser feito, a gente vai observar o que aconteceu nas suas últimas duas semanas de vida – ou mais tempo antes, mas no mínimo duas semanas. Porque a ideia não é pegar as suas flutuações de humor recentes, como em um dia que você estava muito triste. Mas efetivamente ver se a gente consegue enxergar um padrão!

Pensando nessas últimas duas semanas, vão ser feitas perguntas para você relativas a nove principais sintomas. Esses perguntas têm a ver com a sua saúde física, o seu sono, o seu apetite, os seus pensamentos – se eles estão mais difíceis, se você está tendo muito pensamento ao mesmo tempo, se está ruim de se concentrar ou se você tem pensado em se machucar ou até mesmo tirar a própria vida.

Também, várias delas serão relativas a como você está se sentindo; se você está perdendo a vontade de se engajar em atividades do seu dia-a-dia, se você tem sentimentos de culpa o tempo inteiro etc.

Nos dois testes, você vai poder avaliar tudo isso e ter uma ideia mais próxima!

Contudo, eu reitero: você precisa de um profissional da saúde para ter certeza se isso que você tem é ou não uma depressão. O teste simplesmente ajuda você a aumentar a sua percepção de “probabilidade de uma depressão” e a se conscientizar de que talvez esteja na hora de marcar uma hora com o psicólogo ou com seu médico.

Causas da depressão

A próxima pergunta que sempre vem junto é: quais são as causas da depressão? O que faz com que eu me torne deprimido?

E a depressão é um conjunto de fatores.

1. Predisposição genética

O primeiro deles é uma certa predisposição genética, ou seja, é algo que você herda da sua família, do quão fácil é para o seu organismo entrar numa depressão. Quanto a isso não tem muito o que a gente possa fazer!

Alguns de nós vão ser mais suscetíveis e vão ter depressão de um jeito mais forte, e outros não vão ser nada suscetíveis – e talvez nunca desenvolvam uma depressão.

2. Estilo de vida

A segunda principal razão para alguém desenvolver uma depressão é o estilo de vida. Se você tem um estilo de vida que tem seu sono regrado, meditação como uma prática frequente, exercício físico, bastante contato social, alimentação controlada e pouco abuso de álcool e drogas, você já tem um estilo de vida protetivo.

Inclusive, vai ser parte de um tratamento, se você tiver depressão, corrigir o seu estilo de vida.

3. Evento marcante ou desgaste diário

O terceiro fator da depressão, que costuma ser o que a gente enxerga como causa muitas vezes, é um evento marcante na sua vida. Esse evento é algo traumático; pode ser a perda de um emprego, o fim de um relacionamento importante, um assalto ou um trauma muito forte.

E esse evento traumático leva você a, de repente, ter que encarar tudo isso de uma vez e desmoronar.

Mas também, muitas vezes, o estresse acumulado e pequenos desgastes diários vão desanimando você e tornando a sua vida cada vez mais difícil de encarar. Até que, enfim, chega no seu limite de corrosão e você entra em depressão.

Teste de Depressão para identificar a doença

Então, como a gente viu, tem sempre questões genéticas, de estilo de vida e duas coisas que podem ser o estopim da depressão – ou um evento traumático na sua vida ou aquele desgaste continuado, que foi se acumulando ao longo do tempo.

Os dois testes para identificar a depressão estão liberados na plataforma da Eurekka e você pode acessar clicando aqui! Esse testes foram construídos por psicólogos e psiquiatras e ajudam você a ter uma boa ideia se você pode ou não estar com depressão – com maior ou menor chance.

Vale lembrar que é importante um profissional avaliar o seu caso, porque você pode pontuar muito alto nesse teste e na verdade ter um transtorno bipolar. Porque ele ajuda a dar essa luz, mas não é equivalente ao diagnóstico de um profissional, certo?

Teste DASS-21 e PHQ de depressão

Um dos testes que você tem à sua disposição é um teste de depressão, ansiedade e estresse chamado DASS-21, que vai ajudar você a avaliar não só a depressão, mas também a ansiedade e o estresse.

Já o outro teste de depressão se chama PHQ-9 e vai ajudar você, com nove questões ligadas aos grandes sintomas da depressão, a avaliar se você está com depressão.

Eu sugiro que você faça os dois e leia o conteúdo disponível sobre os graus possíveis de depressão e o que você pode fazer a respeito disso. Ou seja, se você deve procurar um profissional ou não!

Se você quiser saber mais sobre a terapia da Eurekka e marcar sua conversa inicial, para dar início ao seu tratamento de depressão, é só clicar aqui!

E para acessar mais conteúdos gratuitos como esse sobre psicologia e saúde emocional, clique na rede social que preferir: Instagram, Facebook e YouTube!