Oi pessoal, tudo bem? Seja bem-vindos a mais um texto do blog da Eurekka de saúde emocional! No texto de hoje, vamos falar sobre fobia social, um transtorno que pode gerar um tremendo sofrimento e chegar até a afastar algumas pessoas do convívio social!

É normal sentir um pouco de nervosismo ou desconforto ao falar com uma autoridade ou com estranhos. Mas para algumas pessoas essa sensação é tão forte que chega a comprometer a sua qualidade de vida. E quando a ansiedade nessas situações chega a um nível muito elevado, passamos a chamá-la de fobia social ou de transtorno de ansiedade social.

O que causa a fobia social?

Normalmente, o que está por trás do transtorno de ansiedade social é um medo muito grande de exposição. Ou seja, a pessoa tem medo de parecer ridícula, de falar bobagens ou de ser observada. Além disso, quando precisa interagir com estranhos, ela tem medo de ser julgada, de sentir vergonha, de fracassar ou de não corresponder às expectativas das outras pessoas.

Às vezes, conversas ou situações que envolvam figuras de autoridade, como um chefe, também causam um grande sofrimento. E o mesmo acontece quando a pessoa se depara, por exemplo, com a possibilidade de falar com o seu crush. Para quem sofre com a fobia social, pode parecer impossível falar em público ou com algum desconhecido. Porque só de pensar na situação ela já sente o pânico, o suor nas mãos, o coração acelerado e, muitas vezes, se sente paralisado.

Nesse sentido, a fobia pode levar a pessoa a evitar lugares e situações que possam causar esse desconforto. E o problema é que toda vez que ela foge de situações e lugares que possam causar desconforto, ela está dizendo para o seu corpo que faz sentido sentir medo.

Ou seja, que naquela situação ou lugar faz sentido sentir pânico, taquicardia, suor nas mãos etc. E cada vez mais a pessoa vai se afastando de situações e lugares – ainda que eles pudessem trazer prazer para ela – e da vida, de uma modo geral.

Leia também:

Quais os sintomas da fobia social?

As pessoas com Fobia Social vão demonstrar “estilos” de comportamentos diferentes umas das outras. Ou seja, cada um vai ter a sua maneira de esconder os sinais de ansiedade à sua rotina. Contudo, alguns sinais são mais comuns e compartilhados pela maioria das pessoas.

Também, os sintomas da fobia social vão variar sua intensidade de acordo com cada situação que a pessoa com fobia social estiver passando. Mas eles podem ser:

Sintomas físicos

  • Coração acelerado;
  • Dificuldade pra respirar;
  • Tremores;
  • Suor nas mãos;
  • Boca seca;
  • Dificuldade em falar ou gagueira;
  • Dores abdominais;
  • Tensão muscular;

Sintomas mentais

  • Medo de sair de casa;
  • Evitação de locais públicos ou com muita gente;
  • Medo de ser julgado ou de interagir com pessoas desconhecidas;
  • Evitação em falar com pessoas por medo de constrangimento;
  • Evitação de situações em que a pessoa possa ser o centro das atenções;
  • Medo de corar, suar ou tremer em público;
  • Esperar sempre o pior de situações sociais.

Qual é a diferença entre fobia social e síndrome do pânico?

Tanto a fobia social, quanto a síndrome do pânico apresentam sintomas parecidos e podem gerar crises de pânico. Por exemplo, alguns sintomas são: coração e respiração acelerados, sudorese, tremores, sensação de estar infartando etc. Porém, elas são causadas por fatores diferentes!

Na fobia social, as crises estarão sempre associadas a alguma situação que envolva contato social ou a possibilidade desse contato.

Por exemplo, alguém com fobia social poderá se sentir extremamente desconfortável ao estar em um ambiente fechado com pessoas desconhecidas, como um ônibus ou elevador. No entanto, essa sensação passará quando o contato com estranhos terminar.

Já na síndrome do pânico, as crises podem ser associadas a diversos outros fatores ansiogênicos.

O que é crise de agorafobia?

A agorafobia é um transtorno de ansiedade, também conhecido como “medo de multidões”. E esse transtorno pode se desenvolver após crises de pânico! Nesse sentido, a crise de agorafobia aparece em situações em que o sujeito está em locais públicos, especialmente se houver movimento ou aglomeração de pessoas.

Por isso, é comum que a pessoa com agorafobia se sinta segura somente acompanhada. Ou então, que deixe de sair de casa pelo medo excessivo!

O que é glossofobia?

A glossofobia é o medo específico de falar em público. E não só o ato de falar em público causa muito estresse, mas também pensar sobre a situação ou tentar antecipar o que acontecerá naquele momento já pode fazer o nervosismo aparecer.

Na glossofobia é comum que a pessoa “congele” antes de precisar falar em público, sinta a boca seca, sinta suor excessivo, tremores e até taquicardia. Assim como na agorafobia, a pessoa tentará sempre fugir dessas situações, afim de não sentir ansiedade.

Qual é a relação entre fobia social e depressão?

Nem sempre a fobia social e a depressão andarão juntas. No entanto, é muito comum que o sujeito com fobia social apresente alguns sintomas de depressão. Pela ansiedade que sente frente a lugares e situações específicas, a pessoa com fobia social acaba se isolando das atividades que antes faziam parte de sua rotina.

Dessa forma, ela vai diminuindo as sua fontes de prazer e diminuindo também as suas fontes de maestria. E uma pessoa com uma vida sem prazer e sem maestria tem mais chances de desenvolver depressão!

O contrário também acontece, por exemplo, quando pessoas depressivas apresentam sintomas de isolamento social semelhante à fobia social. Por isso, algumas vezes, é fácil confundir o diagnóstico!

Então, como são transtornos que possuem sintomas semelhantes, é comum que apareçam juntos – e que a existência de um agrave os sintomas do outro.

Como tratar timidez e fobia social?

As situações de interação social trazem um grande desconforto. Então, é necessário que o seu corpo se acostume com esse desconforto, para que em situações futuras ele não seja tão grande quanto é hoje.

E para que isso aconteça, você pode praticar técnicas de relaxamento, como a respiração diafragmática, ou práticas de mindfulness, que ajudam você a se manter mais calmo para encarar interações sociais.  

No entanto, escrevemos um texto inteiro sobre como tratar e vencer a timidez e a fobia social, aqui no blog. Pra ler o texto na íntegra, escrito por um de nossos terapeutas, clica aqui!

Como identificar a fobia social?

Se a pessoa sente alguns dos sintomas que listamos acima quando precisa interagir com outras pessoas, percebe que eles estão presentes há mais de 6 meses, que causam um sofrimento significativo ou prejuízos em interações sociais, profissionais ou em outras áreas importantes da sua vida, já é o suficiente para buscar ajuda profissional.

Embora o diagnóstico só possa ser dado por um profissional, ele não é necessário para que a pessoa busque ajuda e informação para lidar com os sintomas!

Como ajudar alguém que sofre com fobia social?

Como um amigo você pode estar presente, dizer que se preocupa. Se se sentir confortável pode mostrar técnicas de relaxamento para que ela lide com as crises, falar ou enviar textos que falem do transtorno.

E não esqueça de incentivar a busca por terapia. O terapeuta é um profissional treinado para lidar com a fobia social, amparar e ajudar o paciente na busca por uma melhor qualidade de vida.

Tratamentos para fobia social

Você pode ser acompanhado por um psicólogo para buscar formas de encarar esses medos pouco a pouco na terapia. Caso as crises sejam muito fortes há a possibilidade de buscar também um psiquiatra que receitará remédios para lidar com a ansiedade.

Aprenda como vencer a fobia social com a Eurekka

A Eurekka é a maior clínica de terapia online do Brasil e aqui atendemos todos os meses centenas de pessoas. A fobia social é um transtorno de ansiedade muito comum e super tratável. No tratamento da Eurekka você aprende, junto com o psicólogo, a vencer a fobia social em micropassos.

Ou seja, dia após dia, de pouquinho em pouquinho, você aprende a enfrentar essas interações sociais que causam ansiedade. Por exemplo, ao invés de encarar logo uma plateia de 300 pessoas, a gente encara conversar com 1 estranho só.

Dessa forma, você decide passar por uma situação desagradável por vez, até que seu corpo se acostume com aquela dose e você possa ir aumentando o grau de dificuldade desses desafios.

Se você quiser saber mais sobre a terapia da Eurekka e marcar sua conversa inicial, para dar início ao seu tratamento de fobia social, é só clicar aqui! E para acessar mais conteúdos gratuitos como esse sobre psicologia e saúde emocional, clique na rede social que preferir: Instagram, Facebook e YouTube!